terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Merry Christmas, I don't want to fight tonight


"Merry Christmas, I don't want to fight tonight
Merry Christmas, I don't want to fight tonight
Merry Christmas, I don't want to fight tonight with you"

Você pode encontrar sabedoria nas letras dos Ramones se quiser. O natal ja passou. Apertem os cintos, turbulência. Detesto essa época do ano, por "N" motivos e mais uns que não cabem aqui. O natal é um dia como qualquer outro, eleito pelo povo para as pessoas tentarem sorrir, tudo aquilo que não sorriram no ano inteiro, acho que essa é minha melhor definição natalina. De saco cheio desta época de festas.

De uns tempos para cá, não peço um porsche, não peço um videogame ou uma bicicleta, peço apenas uma coisa tão simples que talvez pelo meu próprio gênio seja uma coisa simplesmente dificil de arrumar, pois não vende em potinho. Paz.

É engraçado eu ja estou batendo nessa tecla desde antes do natal, na verdade desde antes deste ano.

O que me faz lembrar de que joguei imagem e ação...sem imagem, afinal no meu grupo só tinha pessoas que desenhavam e o restante achou injusto."Quem disse que a vida é justa?". Mas me lembro neste instante de uma mímica que foi feita nesse dia de natal.

"Essa é para todos?"

"É"

Mímica e um monte de gente dando palpites juntos. E o tempo correndo.

"humm...castigo?

Mímica. E o tempo correndo.

"Hummm...pique esconde?"

Mímica, e o tempo cabia ainda dentro de um minuto.

"Quarentena?" E talvez o tempo coubesse dentro de um potinho.

"Quarentena?"

...É eu acertei.

Imagem e ação. Um jogo de tabuleiro. Mas refletindo melhor eu deveria aprender a ficar em quarentena esperando o natal passar, o calendário virar e o ano novo chegar. E as pessoas não sentirem-se mais obrigadas a sorrir, mas sorrir por vontade.

Mas nossa gente algo que eu preciso dizer, eu realmente me diverti jogando imagem e ação, mesmo sem caneta e papel.

Engraçado como o natal e as festas me lembram uma certa pessoa. " E ai tem tido notícias?"... Tem gente que podia calar a boca e não me perguntar nada na fila do mercado. O que será que esperava que eu respondesse? Talvez uma resposta natalina e familiar. Hohoho e eu aqui de saco cheio.

Juro que eu queria hibernar e esperar as festas passarem.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Um raio de sol depois da chuva

Choveu bastante. Tempestades. Inundações. Metrópole e carros congestionados.

Acabei indo buscar o guarda-chuvas, girasol e sonhos. E tentando cortar o horizonte em estrada, na menor rota possivel. Destino. Ribeirão.

"Só temos passagem as seis e meia, mas o rápido tem para as cinco horas"

Rápido, e o céu devora o sol aos poucos na estrada, e ao cair da noite que demora chegar dá para notar as nuvens como naves de gás e os tons de prussia, e ultramar se misturam com o vermelho que desaparece.

E a estrada desaparece aos poucos, pois ela não importa tanto quanto o destino, onde quero chegar. Buscando raios de sol entre as nuvens. Cada vez mais longe de sampa. Meu lugar é onde meu coração está, pelo menos as horas de angustia trancafiadas em escritorio valeram a pena a espera.

"Você anda um ogro ultimamente"

Engraçado, contra a verdade não há argumentos. Mas eu to tentando mudar, porque eu quero, porque vale a pena, estou tão cansado de guerras, mentais, pessoais, reflexivas, de todos os tipos. Eu quero paz, e um raio de sol depois da chuva.

Amo você Louise.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Enquanto isso no Universo Paralelo dos Guarda Chuvas...


Galeria do rock. Passagem. Presente. Chuva em São Paulo e eu aqui cada vez mais, tendo certeza que snorkel e pé de pato são dois itens indispensáveis para morar nesta metrópole. Mas também preciso de guarda chuvas e vou buscar.

"Vem me buscar"

É vou sim nem que seja navegando. Nem que seja em Londres. Férias chegando e eu feliz da vida. Até que tranquilo 2009 tem sido um ano bacana. Trechos de frases soltas no tempo. Memória.

Desenhos do pequeno príncipe. Alguém dorme e nem desconfia do contar das horas sorridentes. Tic tac. Universo em movimento. Cosmos. Espaço. E asteróides, não podemos esquecer deles é claro. Ludicos e desenhados. Vestido de peça de teatro.

"Acho que é a sua cara...se você tivesse me mostrado antes"

"Não era para ser meu"

"Era sim, ja estou até te vendo vestido nele"

Dorme. Sonha. Tempo. E os guarda chuvas dançam faça sol ou não. Fragmentos de tempo. Flash de sorriso digital. Deu até vontade de desenhar um carneirinho hoje quando acordei. Mas acho que não sou muito bom em desenhar carneirinhos.

"Queria ter ido na exposição, é só até domingo"

Desenha. Pinta. Espera. O tempo não para e corre em sua direção. Estrada. E preciso chegar em Londres. E tudo isso caros leitores só faz sentido para mim que conheço o universo paralelo dos guarda chuhvas, não tão bem quanto gostaria, mas tento hehehe.

"Minha amiga parece essa atriz"

"Ela é bonita"

"Ela é estranha hehe"

O B612. E as horas indo em sua direção. O universo é só uma engrenagem estranha. O tempo... bom o tempo uma ilusão de memória. Só existe mesmo o hoje. E hoje eu quero estar no universo paralelo dos guarda-chuvas, nem que seja nadando. Neste exato instante. Agora.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O dobrar das horas


Horas dobram. Se quebram ao tic tac "Tictaquear". Universos em miniatura. Laboratório. Química. Eu não sinto a menor afinidade pelo permanganato de potássio. Conferindo horas, conferindo tabelas, concentração. "Não pense" "Não pare".

Talvez seja apenas o quarto homem da máquina agindo. Engrenagens, girando. Verificando fornecedores. Preenchendo tabelas. Periódicas. O meu tempo contado em períodos. Expediente. Quando seu corpo está em um lugar, sua alma em outro e sua mente em outro, decomposto. Solvente. Mexendo com produtos químicos, assimilando os símbolos das caixas. Adaptando.

Mas eu não sinto a menor simpatia pelo Metanol ou carbonato de estrôncio. Ja trabalhei com tanta coisa, ja viajei para tantos lugares, nao tanto quanto os que eu queria. Mas enquanto meu corpo trabalha, minha alma divaga e minha mente viaja nas horas.

"Qual a porcentagem do IPI?"

Dobrando as horas, o tempo, e eu sem sono, sinto sempre tão pouco sono. Não gosto de trabalhos onde eu permaneça estático, estagnação é minha pior inimiga. E enquanto o mecanismo move e verifica e preenche tabelas e orçamentos. Eu penso demais. Filosofar demais é problemático.

É as horas dobram, mas em qual sentido afinal? Neste brincar de palavras, neste brincar de retratos em frente aos meus olhos. Eldorado não está lá, nem tampouco passárgada. é pura brincadeira.

"Bem que eu queria estar falando sobre Tolkien agora" E o erlenmeyer se não fosse apenas um frasco de vidro talvez sorriria irônico para mim.

Tic tac tempo. Todos os dominós tombaram, segunda etapa, o silêncio. Nada de tambores agora, e eu posso ouvir os meus batimentos cardíacos, organismo, interligado, operacional e pensante.

Risca, pinta e projeta e a historia em quadrinhos toma forma, em quadros e compactos. Derretendo as horas jogadas dentro de um Kitazato.

"E o que fazer agora?"

"Não se preocupe. Eu sempre tenho um plano" E assim mensagens sao engarrafadas, decantadas, solvidas e sublimadas. Escritório. Tic tac. Relógio. Parede. Monitor. E eu sentado, organizando calado. Sem quebra-cabeças ou dominós.

Súbito algo de bom bombardeia o horizonte químico do meu cotidiano. É hora de abandonar os frascos, galões e tambores e trabalhar com algo pelo qual eu tenho não apenas afinidade ou simpatia, mas sim pura sintonia, eu não sei para o que o universo conspira, mas se ele nao conspirar, conspiro eu por ele, eu detesto a sensação de estagnar. É hora de sair do monitor. Meus agradecimentos especiais á Alexander Graham Bell, mesmo meu telefone sendo uma bosta.

"E ai quando eu começo?"

Está na hora de dobrar as horas. E eu estou muito feliz com isso.

Veni, vidi, vici. Atrás de cada horizonte, meus caros, se esconde uma aurora. A noite é apenas a noite. E que venham os leões.

"Honra e glória a todos os javalis" 4 ever.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Eu, eu mesmo e ...eu mesmo.


Engraçado ja estive aqui antes, neste exato momento, neste exato ponto. Ponto final. Ponto de interrogação. Ponto, pronto. Exclamação!

Pior que tentar entender o ser humano é entender a si proprio, ainda mais quando esse "si próprio" sou eu. Francamente. Mas quer saber? Eu tenho realmente parafusos a menos, da mesma forma que os tem os outros seis bilhões ( e a contagem crescendo) dos demais humanos deste planeta, isso inclui você ai me lendo, você mesmo que para mim nem tem rosto, ou talvez tenha.

Estou com projetos bacanas escrevendo , voltando a fazer quadrinhos, pintando, mas por mais que eu escreva ou cubra de tintas uma tela, é complicado ser eu mesmo, estava lendo esses dias o Tao Te Ching e formulando coisas na minha cabeça, mas especificamente o poema 20 " o aparente fracasso do homem espiritual". Sei la minha reação ao ler foi um riso perdido entre um "putz" e algo como um "haha", nao saberia definir exatamente. Mas me deu vontade de perguntar a mesma coisa para varias pessoas diferentes. Varias mesmo. A mim inclusive.

"Valeu a pena?"

São tantas inquietudes as quais busco respostas, tem horas que eu pareço um cão caçando o próprio rabo. E se um dia , por um dia eu fosse um cão, a primeira coisa que faria era perguntar à outro cachorro, "Ei cara, qual a graça de correr atrás da própria cauda" talvez ele me respondesse "Se manca cara! Acorda você também é um cão! Sua besta!"

Devaneios a parte vou continuar aqui com minhas pulgas pensando no poema 20. Sozinho com minha própria mente que me prega algumas peças. Tem horas que eu penso demais sabe leitor? E é dentro da minha mente que a ebulição acontece. Como diria Muttley "Medalha!Medalha! Medalha!" de certa forma fiz a boa ação do dia. Embora não pretenda contar a vocês qual foi. É eu acho que eu preciso de uma camisa nova hauahuhaa a de força.

É só por hoje eu queria ser o Muttley. ^^

sábado, 12 de dezembro de 2009

A difícil arte de entender o ser humano.




Sinceramente é um verdadeiro mistério, o ser humano. É como chegar numa pizzaria pedir pizza, o garçon dizer que não tem pizza praticamente aos gritos, você pede outra coisa e ele além de tudo vem te atender mal, por ter pedido a pizza primeiramente, que segundo a criatura, não tem. De forma alguma.

Dias depois você passa em frente a mesma pizzaria e o mesmo atendente passa gritando "Ei! porque não esperou a pizza? Bravo e coberto de razão. Como se você fosse o caloteiro que comeu a pizza e não pagou"

Sinceramente nem o ornitorrinco é mais estranho que o ser humano. E sinceramente o ornitorrinco nem precisa de analista. Isto é, sinceramente falando, é claro.

Antes que alguém pense que me refiro de uma pessoa ou evento, eu poderia citar vários eventos e pessoas.

Do que é composta a mente de um ser humano? Qual a engrenagem que saiu do lugar? Porque sinceramente nem quero pizza, muito menos de anchovas.

Eu bem que poderia dizer "Que um bando de ornitorrincos sanguinários avancem na sua garganta te bicando" mas sinceramente só tenho uma coisa a dizer. "Sigam seu caminho em paz e felizes, e nem precisa ser perto de mim"

Em contrapartida eu vou permanecer aqui tentando construir ornitorrincos andróides de alguma forma, eles são menos complicados que os seres humanos.

"Sorriam, evitem de buzinar no trânsito" é um conselho que serve para os mais diversos aspectos da vida quando se eleva isto a metáfora.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Memorabília


"É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Por que se você parar
Prá pensar
Na verdade não há...

Sou uma gota d'água
Sou um grão de areia
Você me diz que seus pais
Não entendem
Mas você não entende seus pais...

Você culpa seus pais por tudo
Isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser
Quando você crescer?"

Apenas um trecho. Uma outra história. Outros retratos na parede elétrica de uma tela. E assim passam dias, seguem e singram o tempo velejantes que são das horas, de nossas areias, nosso tempo.

E eu lembro agora de toda essa memorabília. Contida em um simples retrato.

"Vamos pegar um taxi"

"Não, porque?"

"Porque eu sou um bêbado consciente"

É tem horas que eu não entendo, nem faz sentido, mas ja passou. Eu repito, passou. E talvez a turbulência abandone de vez os ecos de tempo criptografados aqui. O tempo é só uma engrenagem. Onde um tic tac dentre tantos, nem é notado.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Fotografia



Por mais que eu realmente me esforce eu jamais vou entender o ser humano. Engraçado que certas fotografias que encontro na arqueologia digital de meus velhos backups empoeirados, palavras perdidas que me incomodam.

Engraçado, por mais que eu tente, eu sempre vou apenas conhecer o meu lado da moeda. E nem foi por má vontade minha. Mas até os mais pacientes se cansam um dia. Outras palavras se perdem na memória. Queria poder voltar no tempo e responder ao meu velho, responder ás ultimas palavras que ele disse antes do fechar da porta.

E o que eu responderia?

"Cara, você está errado"

Não é sobre pais, não é sobre família, é sobre tudo, sobretudo isso, palavras não ditas, cuja oportunidade de dize-las ja se perdeu no tempo. Nossas escolhas estão tão interligadas e você nem imagina, você ai , é voce mesmo estranho, lendo minhas letras.

Eu não conheço minha própria face, apenas uma imagem manchada no espelho. Engraçado.

"Cara, você está fodidamente errado".

Escolhas. É tudo a respeito disso. Eu não conheço minha face, mas eu reconheço as velhas fotos, fotografias de memórias. Tic. Tac. Tempo. E o cronômetro? Ele dispara.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Estranhas inspirações- "Mensagens na Garrafa"



Em primeiro lugar a imagem acima é de um trabalho de Dorian Cleavenger. Esclarecido isso vou falar de ornitorrincos. Que?

Sim!Ornitorrincos! Sabe aquele bicho estranho que parece que veio ao mundo com uma baita crise de identidade? Digno dos divãs dos mais ilustres psicólogos. Então esse mesmo. E o que ele tem a ver com o "Mensagens na garrafa"?
Pois é, as pessoas gostam de dar nomes as coisas, catalogar coisas, definir coisas. Que coisa não?
Então, até o presente momento tanto o estilo da HQ, quanto de sua narrativa é um verdadeiro ornitorrinco. Andei ponderando sobre algumas definições de Steampunk, e ainda tenho certas duvidas de que o mundo de Eyrion segue exatamente uma linha Steampunk.
Outra coisa, apesar do nonsense e dos toques de humor, não é uma aventura típica de comédia, mas sim um drama, da mesma forma que um ornitorrinco não é um pato, embora tenha tudo para ser um, mas um mamífero.
Não sou bom em nomear coisas, as fontes de inspirações da HQ são as mais diversas, desde algo meio Calvin, até passagens dignas de filmes de terror. Não sei se isso vai causar enjoo e estranheza, creio que sim, uma verdadeira miscelânea de ideias ainda me cutucam.
Gosto de escrever, desenhar e pintar e depois de algumas conversas resolvi não somente lançar a novela que ja está rolando no meu multiply, quanto iniciar os estudos do visual para a HQ, o prazo é ano que vem, mas ja me adiantei lançando a imagem de alguns quadrinhos, apresentando os vilões do segundo arco de historia. É engraçado pensar que as inspirações para ela vão desde chaves, star trek, mangás, jogos de videogame, bandas de rock e arte erótica. Discrepância.
Tenho quase certeza que as pessoas vão estranhar um pouco se o projeto sair da forma que tenho ele em mente, e sinceramente não sei se isso é um ponto positivo, afinal muitas pessoas estranharam a propria narrativa e abertura do primeiro capitulo da novela. É isso que dá deixar piratas, magia e Steampunk ao alcance dos meus goblins.
Bom, é isso deixo com as senhoras e com os senhores, meu mais novo ornitorrinco.




"Ornitorrincos fazem quack ou glub glub?" -alguem saberia me responder? (Pablo Frazão e as vozes em sua cartola)

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Reload - A vida segue, coisas ficam para trás.

Bom , depois de uma boa série de eventos enviados pelo próprio Murphy. Finalmente posso me dedicar aos meus projetos. Aprendi que não existem coisas mal resolvidas, pelo menos não para mim, elas apenas não se resolveram dentro da lógica, racionalidade ou civilidade esperada. E por mais que eu tenha tentado resolver, esperar que terceiros entendam meus motivos é esperar demais da humanidade.
Falando de coisas agradáveis. O projeto dos quadrinhos Steampunk que estou desenvolvendo, está indo bem.
A novela online "Mensagens na garrafa", que é o primeiro arco de historia dos quatro que compõe este projeto, ja está indo para o segundo capitulo. Piratas+Magia+um mundo de tecnologia a vapor e eletricidade de pura discrepancia temporal rs.
As engrenagens estão girando e as caldeiras esquentando, conforme eu vou fazendo as pesquisas para compor o visual da HQ vou tendo ideias meio loucas até demais e como sou eu quem escrevo e vou fazer os quadrinhos, creio que os mais puritanos não vão gostar dela.
Quem quiser saber mais sobre o projeto, aqui está o link onde podem encontrar o índice dos posts da novela. Alguns estão disponíveis apenas aos meus contatos, por hora.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

99 Luftballons de devaneios alcoolicos

Chegando da balada. Saibam todos. Me diverti. O som na pista estava superbacana. 99 Luft Ballons e eu nem pedi. Encontrei com a Flávia "Needle" por acaso. Bebi. Dancei. Ri. Voltei para casa, faz tempo que não vou numa quinta para algum lugar assim.

Nossa eu não havia me dado conta de quantos anos faz que eu conheci o Tchelo, um dos DJ da balada. E começamos a falar das fases de uma casa noturna da qual acompanhei de pertinho dos anos mais loucos aos mais pacatos da minha vida. E velhas histórias. E outras histórias.

Eu troco de assunto tá? Se voce veio ao meu blog saiba que ainda estou bêbado, e isto não é desculpa, é agravante hauhauahuah.

Deja vu, ás vezes leio coisas que ja me foram ditas antes e no fundo é tudo um padrão de comportamento. Eu ja vi, ja estive ali, da vontade de dizer "ei você ai, preste atenção nesta parte, pois ela se repete", e depois grifar ela e dar risada.

Uma vez li algo sobre fotos na internet, e como as pessoas se veem. Uma imagem pode dizer coisas sobre você. "Dizem os estudos". E lembrando disso eu ri. Tem pesquisas sobre tudo. E eu seria um chapéu antigo.

Ler coisas bebado na internet, pode ser engraçado, como aquela pessoa que assiste a novela e fala com a tv "la vem o bandido cuidado!" como se o personagem pudesse ouvi-lo, mas bem, isto é vida real , e eu sou gente de carne e sangue. Meus ossos nao sinto no momento e para falar a verdade ontem eu ja acordei estranho achando que eu estava morto, tateei a cama procurando meu corpo, ou o celular para acender e encontra-lo, o que acontecesse primeiro, mas era apenas um blecaute.

Ainda deve ser o alcool. Eu sempre achei que escrevo melhor bêbado, mas quando eu fico sóbrio eu duvido deverasmente disso. É me diverti, as risadas valeram, velhas lembranças, historias, velhas, novas.

E eu estou escrevendo tudo misturado mesmo, pois tocaram 99 luft ballons. Eu ja vi o filme antes, é um remake e sei como acaba e ja não é da balada este trecho. Risadas. Risadas. Risadas. Se as pessoas observassem algo que minha avó dizia "quem faz com Chico, faz com Francisco". Pois é eu deveria ter dado ouvidos a ela. Saudades da minha avó, faz quase um ano.

O tempo torce, se contorce se distorce. Um deja vu. "Ei você ai (Quem quer que seja este você, para mim é apenas um estranho, mais um dos tantos deste mundo)...psiuuu posso te contar que ja estive nesse lugar...para dizer que não é preciso muito para estar agora aqui no meu lugar" Loucura nonsense? Risadas Risadas Risadas.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Tarde demais

Podem me chamar de paranóico. Mas sabe quando você lê algo com cara de indireta? Que tem pinta de indireta? Cheira a indireta? E que você fica se coçando para perguntar se interpretou certo? Talvez seja apenas uma baita coincidencia. Pois é. Eu to me coçando aqui para perguntar, na verdade acho que por umas cinco vezes eu passei bem perto de fazer a pergunta, o maximo que eu poderia fazer é digitar e digitar pois eu to aqui sentado, só vendo a coisa piorar de camarote. Cadeira cativa. Primeira fileira.

Porque eu estou me perguntando se ainda é prudente, porque eu estou quase convicto de que não valha a pena. Cada pessoa tem seu parametro do que espera de um comportamento adulto. E sinceramente dentro dos meus´parametros eu ando muito decepcionado.

É engraçado, antes eu até teria algumas boas palavras a dizer. Talvez algo no meu psicológico querendo atenuar, ou até mesmo passar panos quentes onde não deve. Para tentar diminuir o estrago. Sabem aquela boa e velha esperança na humanidade? Então, aqueles cinco segundos onde você quer crer um monte de coisas boas. Mas eu sinceramente não vou mais me obrigar a isso. O que eu tinha de fazer eu fiz, os gestos de boa vontade ou mesmo de reconhecer certos erros foram tomados. Eu preciso aprender que o ser humano consegue se superar, tanto no melhor quanto no pior. Para algumas pessoas o tempo faz a poeira abaixar. Comigo certas coisas viram é fermento. Eu tento mudar, mas que se foda, eu não sou a madre Teresa. Eu tenho sangue e ele algumas vezes ferve, como hoje por exemplo.

Sinceramente eu detesto essa merda aqui, depois que inventaram a porra da internet as pessoas parecem que evitam cada vez mais o cara a cara. Um dia eu ainda aprendo a ficar quieto. Um dia ainda aprendo a não dizer o que penso. Um sorrisinho, tapinha nas costas. Se eu fosse assim tenho certeza que eu não teria me metido sequer em um terço das confusões. Nossa eu to fodidamente indignado. Estou cuspindo este texto aqui, para o caso tentar atenuar minha revolta, o que me lembra que eu devia ter comprado um saco de areia para estas ocasiões especiais.

domingo, 19 de julho de 2009

Mensagens na garrafa- Dia 23 de Julho online (Algumas palavras sobre Steampunk e o projeto )



Vapor. Magia. Ferro. Locomotivas. Eletricidade. Navios e um imenso mar a explorar. Eldorado pode estar perto ao alcance de seus olhos. Variáveis estranhas. Engenhocas. Risca. Rascunha. Escreve. Desenha. Bate uma engrenagem contra a outra.



Mensagens na garrafa- Uma historia de vapor, ferro e sangue.



Faz um certo tempo que eu mesmo tenho me incomodado com meus quadros. Duas conversas foram bem esclarecedoras e me fizeram perceber exatamente o que era, a primeira foi a Shantall com o jeitinho dela, me fazendo ver que eu deveria buscar meus próprios personagens no oleo. E assim nasceu o quadro do Seraphim com seus tres pares de asas, duas delas de andorinha.



Mas eu ainda nem havia me tocado. conversando com a Flavia Gasi sobre desenhos, eu estava com um album de fotos dos meus trabalhos, e ela foi me mostrando algo que eu havia esquecido. Estava eu tão preocupado em aprimorar a figura humana buscando a realidade na pintura e esqueci que eu não opero lá muito no real.



E mais conversando com a Flavia, percebi que meu elemento natural sempre foi o grafite e o nanquim, desde sempre eu desenho, e se eu pudesse apertar a mão de um cara por isso eu apertava a do Daniel Azulay, que despertou o gosto pelo desenho creio que em uma geração inteira que teve a oportunidade de assistir seus programas. (Shantall pega um autografo dele para mim quando vê-lo na rua)



Muitos dos meus conhecidos nem sabiam que eu desenhava, por eu em uma das minhas loucuras ter jogado quase todo meu trabalho fora e ficado dez anos longe do grafite e do nankin. Mas o ponto é, eu devorava quadrinhos, leitor assíduo da revista “chiclete com banana” e publicações nacionais do gênero. E também eu fazia quadrinhos, cartoons toscos é bem verdade, mas ali naquele ponto e foi o que a Flavia me fez perceber, não havia a interferência de um professor, apego ao realismo.



Estava prestes a lançar as historias de "Mensagens na garrafa", e o ponta pé inicial disso, eu vou guardar mais um pouco, apenas contos, outro elemento que sempre gostei, escrever. E foi conversando com a Flavia que tive a idéia de voltar aos quadrinhos.



Os contos para quem quiser acompanhar estarão disponíveis apenas aos meus contatos no multiply, provisoriamente, os quadrinhos daqui uns meses, pois pretendo fazer uns testes com eles, estou pesquisando, pois ele se passa no universo steampunk do cidade zero. Ou seja ambiente vitoriano, com magia e mecanismos a vapor, um retrô-futurista com sabor vintage, então a HQ vai demorar uns meses, mas ja comecei a rascunhar, pretendo lançar as primeiras paginas aqui na internet , onde ainda nao sei. Aceito sugestões.



Quero aproveitar e agradecer ao Cadu, um camarada meu que faz uns cartoons que eu adoro, e é com quem ando conversando bastante sobre o ambiente Steampunk. Será uma historia de piratas, aventura sim, mas principalmente drama, aqueles que quiserem acompanhar os textos por aqui irão perceber isso no tom da narrativa.



Outra coisa, a HQ e os contos somente partilharão o primeiro capitulo. De resto cada qual será focada em um determinado personagem. Seguindo um rumo diferente. Talvez apenas convergindo no final. Sei que vai dar trabalho, mas assim que é bacana.



Ja que pretendo me desvincular mais do compromisso de pintar a realidade, talvez quem ja viu meus quadros anteriores estranhe, mas essa sensação de estranheza é proposital, e para mim libertadora, eu nasci no cartoon, percebi que o que me incomodava, foi ter virado as costas para ele. Finalmente poderei unir coisas que adoro desenho, pintura e escrita. Espero que o resultado seja bacana. Eu pelo menos ando empolgado.



Coincidência ou não eu estava escrevendo sobre javalis quando o Alfredo "Fred" Pacheco, um excelente ilustrador, que foi o responsável pelo cartaz deste post, me mostrou ele já pronto, caiu como uma luva. Eu, pretendo que alguns amigos meus façam algum trabalho relativo a este meu projeto seja um cartaz, um roteiro. Alias falando no Fred, também gosto muito do trabalho dele com fadas e gnomos aquarelados, recomendo.



Ao meu irmão. Jogar videogames me fez bem, embora eu ainda perca para você nos jogos de luta. Espero que quando os quadrinhos sairem você reconheça e ria de certos personagens, mas do que qualquer outro leitor. E ja que me chama de Nerd, quero ver só quantas referências escondidas você será capaz de encontrar nos textos e nas imagens. Afinal eu sou uma berinjela mais esperto que você hauhauha.



Shantall, pois é ta vendo? Um dia eu ia acordar para um monte de coisas, até as cartas que não me forma entregues, tem um certo toque irônico de coincidência.



Patricia. Deixe seu celular ligado ou perto hauhauhauaha.



Aos amigos, cada um de vocês de certa forma serviu de inspiração para os textos, tanto que pode ser até mesmo que reconheçam algumas historias misturadas a diversos personagens, e não estranhem se notarem alguma familiaridade com vocês quando vier a HQ.



Aos demais leitores. Agora falando especificamente do "Mensagens na garrafa" estréia dia 23 o primeiro conto. Apenas aos meus contatos. Alguns restritos apenas aos amigos ou familiares, minha forma de testar a historia antes de mostrá-la ao publico em geral.



Estes contos, são sobre a tripulação de um navio pirata, acima das aventuras existe o drama dos personagens, haverá humor sim, mas vejo mais como uma aventura com drama do que qualquer outro gênero. Com diversas alusões momentos nonsense. Enfim aguardem e leiam.



O mundo onde se passa a aventura não é o nosso, embora guarde algumas familiaridades. Ele é integrante do universo paralelo chamado de Eyrion, criado para outro de meus textos, o de um rpg que pretendo antes que chegue o apocalipse concluir e lançar seja na net, sem nome ainda mas aqueles que o jogaram conhecem as palavras "Cidade zero" muito bem.



Se fosse para traçar um paralelo neste mundo com o nosso, é como se a aventura fosse em meados do século XVII. Mas com um clima vitoriano dando o tom, além de toques de convergência de diversas outras épocas do século XX ao futuristas nele. Ah sim e há os vikings e os astecas...goblins e kobolds e bom irão notar as diferenças cedo ou tarde.



A arquitetura é esmagadoramente vitoriana sem duvida alguma. Mas nem os continentes são os mesmos. Existe magia e tecnologia a vapor.Há bem mais água e mistérios neste mundo e perigos no mar. e quando alguém ler em algum ponto de seu mapa "Aqui há dragões" e melhor estar certo de ter os equipamentos necessários a bordo e um porto seguro a chegar.



Bom creio que já falei demais dia 23 de julho a primeira parte da historia estará aqui. A HQ começo do ano que vem, com um pouco de sorte a primeira pagina sai antes disso. De um modo ou de outro só posso dizer mais uma coisa antes de zarparmos."Honra e glória a todos os javalis". Até breve.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Sobre patos de borracha a prova dágua e navios piratas.

Novos projetos. Tenho me dedicado a outras coisas e acabei abandonando este blog temporariamente espero. Faz tempo que nem eu mesmo passo por aqui.

Paginas sendo viradas de vez. Algumas vezes você faz escolhas. Outras pessoas fazem por você, e a isto caros leitores chamamos de livre-arbitrio. Ironico, como nossas escolhas se interligam. Mas aquilo que dependeu de mim eu tentei fazer.

Mas sempre ha uma nova história a ser lida. Escrita. Vivida. E quero deixar um agradecimento a Shantall. Uma mulher que também, da mesma forma que eu , escreve cartas e não as entrega. E que esses dias me deixou desconsertado. Feliz. Precisando arejar a cuca. Tudo isso de uma forma tão simples. Será possivel que eu estou sempre olhando para o lado errado?

E assim eu descobri artefatos, naquela sessão arqueologica emocional via Twitter, mas eu creio que a principal descoberta é de como os anos passam e certas pessoas permanecem com o mesmo encanto estranho de sempre, principalmente na micronação das vaquinhas de polainas. Um dia meus goblins talvez mandem um postal de lá.

E em algum ponto da jornada, continuo escrevendo sobre marujos, piratas e navios, fazendo novos desenhos. Ouvindo o som do mar digital e das horas em forma de pássaro-cuco. Girando e girando. Algumas pessoas tem um campo gravitacional único em seu universo. E em algum ponto devem existir diversas intersecções. E assim sendo o mundo torna-se pequeno ao alcance das mãos. Bem vindos a bordo Senhor Finnegans Tampão Cutler e Senhorita Lan Lan, "ainda não sei seu nome de pirata mas uma hora eu descubro". E tudo isso poderia ter sido numa inglaterra vitoriana, movida a vapor e magia. Venham para o multiply vocês dois.

Aos demais amigos, conhecidos e xeretas. meus goblins vão se despedindo por aqui, pois este blog ficou em um porto do qual decidi zarpar, por hora, pois eu sempre só posso falar pelo agora. E o agora nesta hora pode estar no "ainda é tempo" ou no "tarde demais".

E assim cada um de vocês de certa forma pegou a primeira "mensagem na garrafa".

domingo, 14 de junho de 2009

A Raposa e o Príncipe (Para aquelas pessoas especiais que todos conhecemos)

Pensando...
Estes dias andei refletindo muito sobre a importancia de certas pessoas na minha vida.Aquelas as quais eu considero especiais de verdade.E na minha postura para com elas, essas poucas.Tive conversas bacanas estes ultimos dias onde acabei descobrindo certas coisas sobre mim.Que eu ou não percebia, ou fingia nem perceber.
Eu bati muito esses ultimos tempos na tecla do "desapego".ÁS vezes eu acho que se apegar a alguém é uma forma de tirania de algumas das partes.Daquela série de neuroses da minha cabeça.
É engraçado pensar na importancia das pessoas e da falta que elas fazem.Uma pessoa muito especial para mim diria "Pablo, você dá poder demais as pessoas" em um sentido que apenas eu e ela entenderiamos de verdade.Pessoas especiais são poucas e unicas.
Eu consigo ser ainda pior que a raposa, no fundo no fundo...pois eu tenho ainda mais medo de perder minha liberdade.Medo ou seria pânico?Sou péssimo para ser cativado ou tentar cativar ou sequer para me sentir responsável por alguem que não eu mesmo.
E de que raposa eu estou falando?Leia o texto abaixo.
A Raposa e o Principe (Antoine de Saint-Exupèry)
E foi então que apareceu a raposa :

- Bom dia, disse a raposa.

- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho, que se voltou, mas não viu nada.

- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...

- Quem és tu ? Perguntou o principezinho. Tu és bem bonita...

- Sou uma raposa, disse a raposa.

- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste...

- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.

- Ah! Desculpa, disse o principezinho.

Após uma reflexão, acrescentou :

- Que quer dizer “cativar” ?

- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?

- Procuro os homens, disse o principezinho. Que quer dizer “cativar”?

- Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bem incômodo! Criam galinhas também. É a única coisa interessante que eles fazem. Tu procuras galinhas?

- Não, disse o principezinho. Eu procuro amigos. Que quer dizer “cativar”?

- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa “criar laços”

- Criar laços?

- Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...

- Começo a compreender, disse o principezinho. Existe uma flor... Eu creio que ela me cativou...

- É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...

- Oh! Não foi na Terra, disse o principezinho.

A raposa pareceu intrigada:

- Num outro planeta?

- Sim.

- Há caçadores nesse planeta?

- Não.

- Que bom! E galinhas?

- Também não.

- Nada é perfeito, suspirou a raposa.

Mas a raposa voltou à sua idéia.

- Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...

A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe :

- Por favor... Cativa-me! Disse ela.

- Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.

- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me !

- Que é preciso fazer? Perguntou o principezinho.

- É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal entendidos. Mas, cada dia, te sentará mais perto...

No dia seguinte o principezinho voltou.

- Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta a agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração... É preciso ritos.

- Que é um rito ? Perguntou o principezinho.

- É uma coisa muito esquecida também, disse a raposa. É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora, das outras horas. Os meus caçadores, por exemplo, possuem um rito. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira então é o dia maravilhoso! Vou passear até a vinha. Se os caçadores dançassem qualquer dia, os dias seriam todos iguais, e eu não teria férias!

Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou à hora da partida, a raposa disse:
- Ah ! Eu vou chorar.

- A culpa é tua, disse o principezinho, eu não te queria fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse...

- Quis, disse a raposa.

- Mas tu vais chorar! Disse o principezinho.

- Vou, disse a raposa.

- Então, não sais lucrando nada!

- Eu lucro, disse a raposa, por causa da cor do trigo.

Depois ela acrescentou:

- Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te farei presente de um segredo.

Foi o principezinho rever as rosas:

- Vós não sois absolutamente iguais a minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela é agora única no mundo.

E as rosas estavam desapontadas.

- Sois belas, mas vazias, disse ele ainda: Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é, porém mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus sob a redoma. Foi a ela que abriguei com o para vento. Foi dela que eu matei as larvas (exceto duas ou três por causa das borboletas). Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.

E voltou, então, à raposa:

- Adeus, disse ele...

- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.

O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.

- Foi o tempo que perdeste com a tua rosa que fez tua rosa tão importante.

- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... Repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.

- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...

- Eu sou responsável pela minha rosa... Repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
-----
Concluindo
Todos nós.Cada um de nós.Temos alguem especial em nossas vidas, amigos, parentes, amores o que quer que esse alguem represente para você.Creio que este texto da raposa resume um pouco isso.Sempre que lembramos desse alguem ou desses.Para aquelas pessoas especiais que todos conhecemos.Mesmo que eu não as conheça.Que o trigo seja sempre dourado como tesouro.
Há mais ouro e diamantes neste mundo por ai a fora, do que pessoas especiais de verdade, nem todo tesouro é pedra afinal.E cá estou eu pensando novamente nas lições que aprendi sobre o apego.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Ah estes dias....^^

É engraçado pensar o tamanho do alivio que certas conversas podem trazer. Mesmo quando elas vem com bordoadas. O bom e velho ogro chamado Romulo.Tambem é bom ouvir a Marisa.Nessas horas eu vejo o quanto eu ainda tenho a aprender.
Mensagem da Gabi.Celular sem crédito para responder.
Fui parar na despedida de solteiro de um conhecido. Revi o Luiz, ele veio passar uns dias em Sampa. Reencontrei pessoas. Fui tomar uma cerveja com a Duna e com o Elfo, mais conversas esclarecedoras.
Vi pessoas. Conheci gente nova. Respirei. Conversei com o Michel, parece incrivel como nestes ultimos dias tantas pessoas queridas tenham me dito coisas e aberto meus olhos para fatos que nem eu enxergava antes.
"Pablo, você é o cara mais doido que eu conheço"Frase do Fred.
Fui fazer algo que eu não sabia se era inteligente ou estúpido. Um dia talvez eu descubra. É que na verdade eu detesto errar. Mas se eu tiver de errar que seja por ação e não por omissão. Cruzar os braços me incomoda. Nem todo mundo entende o quanto. Espero ter acertado nos chocolates.
Esbarrei com o Radha, que estava com pressa.Vi muita gente nestes dias.
"Quem tem a melhor visão do mar? O peixe ou o pescador?" e aqui fica meu muito obrigado ao Elfo. É , eu sou um filhodaputa orgulhoso que acho que consigo me virar sozinho. Creio que esta foi uma das conversas mais fantásticas dos ultimos tempos. É bom voltar a respirar. Pelo menos consegui entregar o desenho da raposa para ele, finalmente.
Foi bacana reencontrar a Lara mesmo que de passagem, ultimamente todo mundo anda correndo."The clock" não para.
Foram dias interessantes estes, e o final de semana parece bem promissor.Mais coisas divertidas a fazer, outras pessoas a ver e rever. Novas personagens para a historia surgem no horizonte ...
Estou melhor comigo mesmo e com o mundo.Por mais cheio de problemas que esteja."São 6 bilhões de problemas pelo menos. Todos importantes " segundo estimativas do elfo .
Minha vida para uma aventura de "dungeons and dragons"

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Enquanto isso no calabouço.

Eu não sei descrever se é dor o que sinto.Sinceramente algo ja esta quebrado faz anos.Nunca tantos fantasmas vieram me visitar sem hora marcada.
Jogos de cartas marcadas.
Se eu bater os grilhões contra a parede com toda força, sei que eles vão quebrar uma hora, mesmo que meus ossos quebrem antes.
Antes da hora.
A chuva la fora martela em conta-gotas.Algo esta revirando meu estomago.Detesto o ponteiro que gira sem pedir permissão para invadir meu território.To cansado de pensamentos.Eles podiam calar sua boca e me deixar em paz.Ir para algum lugar bem longe, não voltarem mais.
Eu preciso de cinco minutos de eutanásia.Mas só de mentirinha.E acordar respirando de novo.Falta de ar, agora.Certas situações são assim.To alucinando.Vendo coisas.A luz do fim do tunel poderia ser uma borboleta.Se não fosse aço e madeira e som incessante.
Eu to arrancando as pedras do calabouço.Cavando um silencioso tunel de escape.Mas meus fantasmas poderiam calar a boca, isso ajudaria bastante.To cansado.Mas eu não desistoSou o filho da puta mais persistente que você ainda não conheceu.Nem conhecerá.
To cansado de fantasmas eles poderiam simplesmente calar a boca e partir.Mas eu detesto o silêncio, mais do que tudo eu odeio com todas as forças o silêncio, talvez por isso eles recusem-se a partir.
A partir de agora é outra historia.
O tempo dança enquanto chove.Existe o chá das nove?Certos sonhos doem como navalhas.Velhas novelas esquecidas.Se não faz sentido para você ai?Porque continua lendo?Foda-se.Isso aqui é um calabouço.E eu vou cavar uma saida.Vai doer pois pedra contra carne é como papel versus tesoura.Mas ainda é melhor de três.Vocês vão ver, ou não vão ver.Vocês fantasmas.
Eu sempre me virei sozinho.Não seria agora que algo seria diferente.Eu tenho couro ao invés de pele.Eu tenho uma alma afiada.Tenho cascos com ilustres ferraduras lustradas.Eu sempre quis um pouco de paz de espirito, mas não vende no supermercado, nem no submarino ou mercado-livre."Deus me livre!"..."Deus, me livre de idiotas".Deus é só uma cerveja cara.
"Cara, Deus é só uma cerveja!"
Eu quero vomitar minha alma para fora e dar uma limpada nela.Deixar ela na chuva pegando um vento, fazendo a água correr.Ela pegaria pneumonia?
Fantasmas e calabouços e eu aqui alucinando um sonho revolto.Envolto em brumas com um certo amargor com toque de cacau.Se eu vomitasse minha alma, eu enxergaria melhor onde estão as feridas?Os fantasmas iriam embora, me deixariam em paz?To cansado.
Mas eu ja cavei uma saida do calabouço.E sinto a chuva como alcool em sangue velho e pisado.Aos poucos percorro o caminho pela pele e abro aquela chaga mal curada, sequelada, deixo o pus sair.Ja não sei se sinto dor.Apenas o torpor da chuva e seu som batendo na janela que se abre.E eu aqui cansado continuo ouvindo velhos fantasmas que insistem em não se calar.
Preciso de ferias da minha própria mente.Nada que cair na gandaia não resolva.Sempre haverá um amanhã, quer você esteja nele ou não.O amanhã independe de nós.Por isso eu vivo o hoje, embora o ontem muitas vezes me assombre nas noites escuras frias e chuvosas no calabouço.
Eu vou puxar esses goblins pelas orelhas quando eu encontra-los.minha cabeça gira.meus ossos rangem e o tempo contorce meus pensamentos.Eu jamais desisto de qualquer coisa sem lutar, sou péssimo na arte de jogar a toalha, por mais que eu sinta o sabor do meu sangue.Até os mais fortes se cansam um dia.Mas esse dia nem é hoje.Por mais que meus fantasmas insistam que o seja.
Persistir.Perseverar.Paciencia.
Muitas pessoas confundem meu autocontrole com indiferença.Algumas vezes por mais quese sinta a dor é preciso evitar fazer careta."Caminhe calmamente e dirija-se para a saida de incendio mais próxima".Mas nem sempre é assim.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Comunicado dos Goblins


"Nós Goblins,
Viemos por meio desta informar que o dono deste blog está devidamente sob carcere , traduzindo, preso nas masmorras do castelo.
Sem mais para o momento
Atenciosamente
Goblins"

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Selo de qualidade - Valeu Débora

Faz um tempinho, eu ganhei um selo de qualidade por assim se dizer, da Débora dona de um blog bacana que eu acompanho http://ostexticulosdedebora.blogspot.com/ Este selo é originário de um de seus blogs parceiros http://quadrideko.blogspot.com/


Apesar de feliz pela lembrança em recomendar meu link eu acho que sinceramente meu blog é um aglutinado de pensamentos desconexos com textos longos e algumas vezes nonsense, eu só não postei o selo antes por ter sido abduzido e ter ficado um clone mau no meu lugar isso justifica perfeitamente a demora.Meu clone é igualzinho a mim (Duuuh, é um clone oras!!) com a diferença que é preguiçoso e não foi adestrado direito e anda sem paciência para internet.


Mesmo assim valeu Débora por recomendar esta sopa de letrinhas que eu chamo de meu blog.Você é mala pra caralho.E lembre-se, você mora no meu coração.Portanto saiba que o aluguel vence em poucos dias, favor depositar a grana na minha conta bancária o quanto antes.Ou meus goblins vão puxar o seu dedão a noite.HAUAHUAHAUHAUAH

domingo, 24 de maio de 2009

Acabou a paciência.


Sexta-feira.Gente falando merda.Buzinando no meu ouvido.Eu tento colorir um quadro, quando a minha vontade é de rasgar a tela.Eu sinto o estopim acender.Uma explosão parcial e volto a trabalhar na pintura.


Sabado.Notícia triste e tardia, logo pela manhã.O tempo não volta atrás.A vida segue seu ciclo.Outro momento segue seu movimento.Um tio liga em casa, perguntando do meu pai.Minha vontade é de enfiar a mão pelo telefone e dar um murro nele.Eu ouço alguem dizer que está tudo bem, quando não está.Eu tento me convencer que está, ou que pelo menos vai ficar.


Eu ouço como fulano é bacana, eu ouço as mesmas perguntas de sempre.E respondo "Tudo na mesma" quando minha vontade era dizer um grande "vai se foder", mas quem está tentando manter a tripulação do barco calma sou eu.Irônico."Sem pânico!As saídas de incendio ficam a direita".


Eu lembro de umas palavras.E caio na besteira de recorrer a elas.E eu deveria aprender a não dar mais ouvidos a palavras, eu mais do que ninguem deveria saber muito bem disso.Palavras nada valem.


Outro ponto do dia.Uma conversa ao MSN, uma briga ao telefone.E minha paciência acabou de vez.Eu tenho de aprender a contar somente comigo na hora que a coisa aperta, isso que dá acreditar em palavras.Eu só precisava de um pouco de paz.Mas eu não sou bom em fazer certos pedidos.


Palavras, palavras, palavras...já ouvi tantas, ja parei para dar ouvidos a tantas.Tantas delas.
Domingo, uma continuação de sexta e sabado, ouvindo mais coisas que eu não precisava.E eu ali mantendo a calma.Será que toda barragem está fadada a um dia ceder?


Desta vez eu estou na minha ilha por vontade própria.Armando minas e barricadas.Pois minha paciência acabou.A conjunção astral indica tempestade.O alinhamento estelar rumou para que duas neuras colidissem no tempo.E o resultado disso só pode ser um, distância.Afastamento.Pois agora eu que nunca fui la muito bom em jogar a toalha, estou oficialmente desistindo, zarpando para outro canto dentro de um balão.


Cansei.Acabou a paciência.E estas letras são a minha memória do que é civilidade.Hoje , que nem meus goblins cheguem perto de mim.Pois dizer mais palavras só vai piorar o que ja está péssimo.Tudo o que eu queria antes é o que eu menos quero agora.


Derrubando pontes.Desligando celulares.Computador.Eu devia ter rumado para uma caverna quando era tempo.Talvez seja o equivalente a isto que faço agora.O ultimo goblin que sair, apague a luz.


Nem sinal de Eldorado no horizonte.Nenhuma outra metáfora perdida, fora o inverno que se aproxima.Um novo frio polar.Outra era glacial.Soprada cortante na minha cara.E eu que só posso contar comigo, me pergunto."Até quando eu vou conseguir acalmar todos os tripulantes?A minha paciência acabou!"


E assim o Titanic acaba dando um beijo no iceberg.Até que ponto adianta saber nadar?


Sem mais código morse.Fim da transmissão por hora.

sábado, 16 de maio de 2009

Algo para colorir



Meu micro trava.Minha conexão pega quando quer.Meu browse não funfa direito.Minha navegação tá uma merda.Meu MSN abre quando assim deseja.Meu telefone de casa não completa ligação.Não encontro meu celular desde que a bateria acabou.Um milagre se eu conseguir postar esta mensagem em uma garrafa virtual, antes que tudo caia de novo, para o mesmo lugar onde o mar cairia se a terra fosse chata.Ela é chata?
Estática.Interrupção.

Choveu hoje.

Pelo menos passei o dia pintando, trabalhando paralelamente em dois quadros um do Smaug, outro para presente, um personagem de videogame.Ainda faltam dois outros quadros a serem pintados para presentear pessoas especiais.

Enquanto estou ilhado, igual a um eremita , Eu-Crusoé, aproveito meu tempo , busco algo para colorir.As coisas andam muito preto e branco ultimamente.Minha vocação para Chaplin anda nula.Esta mensagem eletronica poderia estar presa dentro do seu monitor tal qual uma garrafa da era moderna, navegando pelo mar da rede.

Não consigo me comunicar.Meus goblins foram fazer barquinhos de papel para escapar desta ilha de pixels.É um motim.Não dá para eu remar dentro de nenhum dos barquinhos, eles não são do meu tamanho.

A quem interessar possa.Fim de transmissão.Navegar é preciso.É preciso mesmo?

Mensagens.Chuva.Paisagens.Imagens vertiginosas diretamente da ilha.Mais uma miragem dentre tantas outras que se apresentam para a chamada da classe.
-Miragem numero um!
"Presente!"
-Miragem numero dois!
"Presunto!"
Enquanto isso Goblins amotinados.Abrem sorrisos e rumam e remam ao horizonte, em seus barcos de papel.E deixam a seguinte mensagem escrita na areia:

"Sentimos muito, você afundaria em um barco de papel.Um dia vai nos agradecer por isso.Aproveite a ilha.Tenha um bom dia.Seja Feliz

Atenciosamente
Seus Goblins"

Bando de amotinados!Ainda bem que há tinta para colorir.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Traça de livros -Mode On

Um dia com muitos pensamentos importantes.Um dia meio corrido com coisas aleatórias para fazer e tudo na duração de todas as integrações possíveis de um bilhete único pagando apenas uma passagem.É foi bem corrido levando o tempo de espera e as distâncias.Mais um dia...


Pensando, pensando, pensando até agora.Talvez eu devesse vender herba life (piada interna com toque de humor negro).


Mesmo passando correndo pela livraria onde costumo comprar meus livros ainda assim vi dois novos títulos interessantes um sobre desenho de dragões e o outro fantasy art mas sob o enfoque mangá (Interessante não necessariamente significa que eu vá comprá-los ao final , pois é difícil eu comprar por puro impulso)


Chegaram finalmente todos os livros que eu havia encomendado para dar segmento as minhas pesquisas sobre Tolkien, dentre eles, dois me frustraram um pouco quando folheei, o "Tolkien Treasures", cabe na minha mão fechada de tão minúsculo, ilustrações insatisfatórias, textos pequenos e o outro sobre as criaturas do filme "Senhor dos anéis" com poucas paginas e imagens que eu poderia muito bem garimpar na internet, esses ficaram de fora da minha lista de compras, em compensação cabe destacar que peguei o "Cartas de Tolkien" que finaliza minha lista de livros "de" ou "sobre" Tolkien que eu pretendia comprar; ainda aguardando o "Tolkien Bestiary" que se chegar será apenas daqui a duas semanas, pois encontra-se esgotado.Vou ter dias de intensa leitura.


Ainda restam alguns livros que apesar de não co-relacionados e dispensáveis, são altamente desejáveis para eu por minhas mãos dentro do tema Fantasy art; HQ ou mesmo de desenho e pintura.E eu sai rapidamente antes que decidisse levá-los também.É sempre uma tentação passar na livraria.Eu quero levar a estante toda.


Fugindo um pouco dos livros com temática Tolkien ou Fantasy art, e falando um pouco de poesia que é algo que curto bastante, tanto ler quanto escrever, alias cabe uma nota, e prefiro ler o poema no original a ler sua adaptação.(Embora eu goste de fazer minha própria adaptação de certos poemas).


Não resisti e comprei dois livros de poesia "Goblin market" de Christina Rossetti e "The Waste Lands and other poems" do T.S.Eliot, impressos em um papel de qualidade ruim, mas para mim o que importa é seu conteúdo, eu poderia perfeitamente baixar da net, mas eu gosto mesmo é de papel, a minha rinite alérgica me agradece.


Foi um dia cansativo.Física e espiritualmente cansativo.Enfaticamente cansativo.Pelo menos a mente ainda funciona e é capaz de ler.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Mudança de planos


Aos leitores que passam por este blog aqui vai uma notícia fresquinha.Haverá um redirecionamento no rumo dos escritos aqui contidos.Pensei bastante e vou reorganizar este blog enquanto ainda há poucos posts.


Outros blogs serão criados em breve, segmentando os teores aqui contidos entre eles.Ou seja:Haverá um blog especificamente dedicado a arte, outro exclusivo para os contos da cidade-zero, outro para uma fanfic de Heroes que planejo escrever e assim por diante.Espero realmente conseguir distribuir bem minha atenção entre os blogs.


Aqui neste blog serão postados textos relativos as reflexões sobre aconteciementos do cotidiano, comentários pertinente ao desenrolar dos outros blogs em si, algumas poesias, algum material de pesquisa que eu tenha achado interessante e todo e qualquer assunto que eu achar que não seja pertinente aos demais blogs.Enfim é isso.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Morgando, lendo e rascunhando



Dia tranquilo.Novamente gripado para variar.Não nem é gripe suína, não sou Palmeirense.Ok, piadinha podre leitores.Ignorem.
Detesto tomar qualquer tipo de remédio, tanto quanto o Calvin odeia sopa.Ultimamente o mundo dos quadrinhos está voltando a fazer parte da minha vida, lendo e criando coisas.Meu reino por um Scanner.




Estou com uma ideia meio louca para um roteiro que talvez eu aproveite durante a aula de "arte e quadrinhos", que estou preparando justamente para as aulas gratuitas que darei no orkontro da comunidade de pintura a oleo.Separei parte do material.Preciso peneirar e organizar agora.
Passei boa parte do dia lendo.E daqui a pouco voltarei a ler, estou tentando ir devagar, eu não quero que o livro acabe.

Daqui a pouco minha irmã vem fazer uma visita.Preciso dar mais atenção a familia.Mas é tanta coisa na minha cabeça ultimamente e estou devendo visitas a tanta gente, não que minha agenda ande cheia, mas sei lá eu não ando muito interativo esses tempos.Minha cabeça sim, anda cheia desde bobagens "Eu quero comer outra barra de chocolate que minha mãe fez", até coisas importantes como por exemplo: "-Texto eliminado por não dizer respeito ao mundo ainda-"...Francamente vocês leitores , que bando de bisbilhoteiros!Acharam que eu diria quais pensamentos importantes rondam minha cabeça oca?Talvez mais tarde.Meus goblins foram fazer um lanchinho.


E se daqui a pouco voltarei a ler e daqui a pouco minha irmã me visitará, provavelmente ela vai interromper minha leitura, por mera questão de lógica.




"E quando você vem me visitar?" minha irmã me pergunta ao telefone.Eu dou uma risadinha e nem lembro o que respondo, passo rápido o telefone de volta para minha mãe.Acho que tenho pânico de visitar meus irmãos, deve ser algo do tipo, entendam eu adoro eles.Mas sinceramente não sei o que acontece, talvez no fundo eu ache que esteja atrapalhando , indo fazer uma simples visita, por isso visito-os menos do que até mesmo eu gostaria.Mais uma de minhas varias neuras.Mas acho que nem é só com meus irmãos que isso rola, com tios também, deve ser alguma espécie de fobia não catalogada.Eu penso em visitar, e espero a vontade passar.




Enquanto isso meus goblins empilham meus livros de Fantasy art, organizam, selecionam, empilham, folheiam e empilham; chega a minha mãe depois de todo um metódico trabalho e tira eles da frente pois estavam bloqueando a visão da televisão, eu quase nunca me lembro do aparelho de TV, nem sei porque comprei um.




Goblins!Falando neles, hoje encomendei o livro "Goblin Market and other poems" estou ansioso para ter o livro em mãos o poema principal do livro em si eu ja li na internet mas eu quero saber quais sao os outros poemas , preciso aproveitar que meu pique para ler livros voltou ao normal e estou encontrando coisas que me motivam a ler, e tambem de terminar de ler o "Silmarillion" que repousa ao lado de diversos rascunhos que estou fazendo com base nele.




Estou me sentindo um tanto quanto cartoon hoje.Rabiscado por fora, vazio por dentro, fazendo coisas saidas da mente de seu criador.Eu me assistindo em terceira pessoa.Se Deus existe, será que nós seriamos seus sonhos?
Sonhos sim!Os sonhos dele adormecido.Passando numa tela de televisão divina.Seguindo um roteiro louco que todos os sonhos costumam ter.Melhor eu voltar a ler o livro.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Goblins!Goblins!Goblins!Pensamentos e influências por toda a parte.


Bom, em relação aos contos e textos que serão escritos aqui eu estava ponderando na forte influência exercida por filmes que assisti , alguns que marcaram mesmo minha infância.Vale citar Labirinto, aquele com David Bowie, há sempre um certo toque de fantasia dentro do terror que eu escrevo, na verdade, a coisa toda se mescla, o assustador, o estranho, uma dica que eu dou para quem gosta de escrever é assista filmes, leia livros e pesquise.

Goblins, gremlins, deuses, semideuses, anjos, demonios,vampiros, humanos todos com seus defeitos e qualidades, eu não acredito muito no esquema mocinho versus vilão, muitas vezes em meus textos vilão e mocinho é apenas uma questão de interesses e situações por isso prefiro mesmo o termo técnico protagonistas e antagonistas, pois na verdade eu penso que dependendo da situação o leitor poderia ficar torcendo para um ou para outro, na verdade todos sem exceções são anti-heróis desde você ai lendo, até os personagens que escrevo.

No conto "1985" que nos remete a um mundo que ainda não nasceu, e para quem chegou a jogar meu sistema de rpg , com certeza terá um sabor ainda mais diferente do que a do leitor que nem sequer me conhece, e que está lendo pela primeira vez a respeito da cidade-zero.

Para meus jogadores o sabor de ver personagens aos quais ja são familiares, antes de serem o que se tornaram, e para os leitores que nunca sentaram a mesa comigo, o sabor de ser apresentado aos poucos a um mundo novo de sobrenatural, magia e....bom, nem pretendo contar muito, só espero que apreciem meus textos.

Meus textos contem forte influencia de velhas mitologias, eventos historicos, textos sobre profecias do que estaria por vir, textos sobre teorias da conspiração, gosto muito de pesquisar em bibliotecas, aquelas com o bom e velho papel.

Também me influenciaram filmes, como por exemplo: Hellraiser, Garotos perdidos, Laranja Mecanica, Quando chega a escuridão, De volta para o futuro, Labirinto, Gremlins, A hora do espanto, a lenda do Caveleiro sem cabeça, Johnny Mnemonic, Blade Runner,Labirinto do Fauno, A hora da zona morta, Akira, Grito de horror, o Corvo ( o primeirão com Brandon Lee), finalizando com seriados como "Twilight Zone" e "Brimstone" infelizmente cancelado em seu décimo terceiro episódio por mim eles poderiam continua-lo, fosse na forma de quadrinhos adultos, creio que funcionaria muito bem também, mas isso é o que eu penso.

Nos quadrinhos eu poderia citar sem duvida alguma Watchmen, que influenciou meu gosto por anti-herois de uma maneira absurda, e novamente Akira, além de Sandman de Neil Gaiman, Lobo está morto, Asilo Arkhan, V de Vingança, Hellblazer, e o fantástico "A ultima caçada de Kraven" e portanto em alguns aspectos os personagens poderiam ser até mesmo super-heróis.

Entre os livros aos quais eu li e que em uma forte escala encontram-se na alma de meus textos poderia citar Admirável mundo novo, A divina comédia, Laranja Mecanica (novamente), O Exorcista (detesto o filme, mas detesto com força) e Alice no pais das Maravilhas (em seu texto original)

Mesmo a musica é capaz de influenciar( e notem que nem mencionei no inspirar que é outra coisa), exemplos como Carmina Burana,Bohemian Rhapsody do Queen, Born to be wild do Stepenwolf.

Há influencias vindas de toda a parte, até mesmo de reportagens, ou acontecimentos ao meu redor, no cotidiano, seja comigo ou pessoas a minha volta.Escrever tambem nasce do observar e escutar.E dos goblins que me dão uma ajudinha de vez em quando.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Pablo versão 3.5 -Upgrade!


Upgrade!

Em 16 de abril de 1974 as 6:00 da manhã lá estava eu sem ter coisa melhor para fazer, sem compromissos, agendas ou preocupações, fazendo uma coisa que geraria diversas outras, num grande efeito dominó de causas e consequências...pois é lá estava eu nascendo.

Minha mãe diz que foi um parto natural sem dor, engraçado esse detalhe, vejo mulheres que imaginam todo parto algo doloroso, ok até eu imagino que deva doer, algo como uma melancia saindo pela buceta de uma mulher (Alias buceta com "u" mesmo , no bom português ruim)
Momento científico.Pesquisas foram feitas, não me perguntem por qual instituto renomado e que sirva de aval para isso que vou contar-lhes leitores, mas aparentemente crianças nascidas de parto normal tendem a ser mais batalhadoras, ja as que nascem na base da cirurgia, teriam um raciocínio mais rapido.Ou algo assim.O que parece descrever boa parte da minha vida
Outro detalhe importante, quanto ao meu nascimento, embora aqueles que me conheçam pessoalmente acreditem e façam brincadeiras a respeito, eu não nasci com barba, ela só apareceu aos 12 anos.

Mas deixando de viajar na batatinha, e indo ao dia 18 deste ano, fui comemorar meu aniversario no The Clock, um lugar bacana ao qual recomendo fortemente, uma baladinha de rock anos 50 e 60 com direito a aulas de dança e banda ao vivo

Versão 3.5, esse sou eu!Três décadas e meia, um tiozinho meio amalucado, enfim não troco minha mentalidade hoje pela de meus 18 anos, embora eu até trocasse minha pança se ela não tivesse sido arduamente cultivada a base de cerveja, tequila, whisky e alimentação nada saudável como o delicioso manjar dos deuses, chamado churrasco grego, vulgo gregão, ou como costumo dizer "o saboroso chamado ao enfarto", enfim sou um cara conservado em alcool e gordura.

A decoração do The Clock lembra os anos 50, com diversas pin-ups emolduradas nas paredes, as mesas e luminárias com um toque retrô, dando ainda mais um ar de volta ao tempo, foi sem duvida alguma a melhor comemoração entre todos meus aniversarios, comecei a noite com a Debora, achando que ninguem viria, principalmente depois do Fred e do Fabio (que não é o meu irmão Fabio), precisaram ir embora antes da festa, antes dela começar.
Mas logo chegou a doida da Dafne, em seguida o meu querido Caco e sua namorada Thays (obrigado por ter ido moça^^)...depois surgiram ao mesmo tempo o Radha, o Hideo e o Luiz-Lulinha-Maligno-Jesus, enfim se alguem aqui conhece algum desses nomes é ele.
Faltaram algumas pessoas queridas, realmente fizeram falta, qualquer que tenha sido o motivo, gripe, grana, viagem ou estavam dando a bunda, saibam que fizeram mesmo falta e que perderam a melhor festa de aniversário que ja tive.Até agora estou dançando, relembrando os passos rockabilly.antes da banda começar a tocar no lugar tem uma aula de dança hilária e bem batuta, ah sim!E gratuita.Achei muito esclarecedor o professor explicar que no giro do Rockabilly não se encoxa a parceira em um dos movimentos, pois os anos 50 eram inocentes, que pena para mim hauhauahuah.
Nossa como me diverti!Dancei!Pisei no pé da Dafne!Levei uma chave de braço dela em um dos giros em retribuição ao pisão!Fiz um pequeno nó na Debora tentando girá-la, e isso sóbrio, imaginem então depois de bebado!

Seria ainda mais foda, se todos os melhores do mundo (esse pequeno clube secreto, tão secreto que alguns de seus membros nem sabem que fazem parte dele), se todos estivessem ali reunidos, teria sido ainda mais fantástico.E porra!A banda estava fantástica!Recomendo fortemente The clock para quem quiser curtir uma balada bacana.Foi realmente muito foda de bom!Sai de lá feliz, satisfeito e também contente pelo fato da galera ter curtido o lugar.

E, finalmente, a noite que de certa forma começou comigo, Débora e Dafne, terminou com esta mesma configuração de personagens, só que no Franz café da Brigadeiro, papeando e bebendo café.
Enquanto isso na minha mente ainda rolava um som ao fundo:

You shake my nerves and you rattle my brain
Too much love drives a man insane
You broke my will, but what a thrill
Goodness, gracious, great balls of fire!...

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Alma Febril -Sobre liberdade , 99 Balões e alguns pensamentos



99 Luftballons

"Se você tiver um tempinho pra mim
Cantarei uma música pra você
Sobre 99 balões
Em seu caminho para o horizonte
Se você pensar em mim nesse momento
Daí eu cantarei uma música pra você
Sobre 99 balões
99 balões
Em seu caminho para o horizonte
Foram confundidos com OVNIS
Por isso um general mandou
Uma esquadra de aviões atrás
Dar o alarme se necessário
Enquanto isso tinha no horizonte
99 balões
99 aviões
Cada um uma máquina de Guerra
Se achando Capitão Kirk
Deu um grande tiroteio
Os vizinhos não entenderam nada
E se sentiram ameaçados
Enquanto isso no horizonte atiravam
em 99 balões
99 Ministros de Guerra
Fósforos e galões de combustível
Se achavam pessoas espertas
Querendo uma gorda recompensa
Gritavam: GUERRA e queriam poder
Cara, quem imaginaria
Que chegaria a esse ponto
Por causa de 99 balões
99 anos de Guerra
Não deixaram espaço pra vencedores
Ministros de Guerra não existem mais
E nem aviões de guerra
Hoje dou minhas voltas
E vejo o mundo em pedaços
Achei um balão
Penso em você e deixo ele voar"



Hoje acordei com um sorriso no rosto, um resto de catarro no peito e uma musica sintonizada na cabeça que não parou te tocar até agora.Escovei os dentes, tirei o jejum com biscoito e café com leite, olhei a cesta de chocolates na mesa e nem toquei, tomei banho , ouvindo 99 balões na minha cabeça.

Pensamentos e palavras, sintonizados, coloquei minha roupa e fui ao banco pegar fila, ouvindo 99 balões em minha cabeça.Vendo pessoas ao meu redor tão presas em seus problemas, contas e responsabilidades.

Quanta gente, quanta gente no banco, presos na importância de papeis e burocracias, ao redor duas crianças correm , crianças choram, crianças não entendem nada ao redor,clientes olham feio para elas na sua ansia de espera pelo dinheiro ao final do caixa, como se o caixa fosse o pote de ouro ao final do arco-íris, e eu ali sentado enquanto meu numero não era chamado , com 99 balões na cabeça, a febre e um sorriso.Vejo as pessoas ao meu lado e me pergunto ,"Para que tudo isso?"

A febre é o sinal da luta do organismo, e quando ela é na alma, é sinal de que?Na minha mente a mesma musica sintoniza.E fica no repete, no repete.
Saio do banco, com chuva no rosto, uma breve brisa e um outro caminho a seguir, pessoas na rua, camelôs vendendo coisas, carros transito e a chuva no rosto, a musica grudada na mente a chuva grudando na alma, e na agitação dos meus sempre apressados passos, tranquilo meu espirito vai caminhando com 99 balões na cabeça.

Pensamentos.Martelam.Martelam.Mal falei com qualquer pessoa hoje, apenas com o vendedor que quase sempre me atende, pois depois do banco fui buscar mais livros, isso com 99 balões na cabeça, esbarrei em Cartas de Tolkien fazendo considerações na minha mente e um estranho sorriso no rosto.

Outra fila,no setor de reservas da livraria, mais livros a minha espera e eu com 99 balões na cabeça, um sorriso no rosto e cantarolando a radio particular da minha cabeça.A moça que atende observa meu cantarolar "bom dia" digo para ela e ela abre também um sorriso.

99 balões na cabeça e eu cantarolo enquanto espero.

"Senhor tem um livro aqui que ja esta pago" e eu penso que otimo que ele chegou, juro que nem esperava, seria tão bom se todos os livros ja chegassem pagos, e eu ali com um sorriso satisfeito no rosto e 99 balões na minha cabeça.

É bom deixar os balões voarem, nem sempre o que se espera é aquilo que se consegue, mas o que importa , enquanto as pessoas brigam, reclamam e tentam furar a fila, é que hoje estou tranquilo, mesmo com 99 balões em minha cabeça.

Tenham todos vocês leitores um bom dia, uma boa tarde e uma boa noite, e quanto a mim,eu vou voltar a ouvir e cantar 99 balões,pois eles estão em minha cabeça.Com um sorriso no rosto esperando o que quer que aconteça , livres, livres, voando na minha insanidade musical^^

domingo, 12 de abril de 2009

Mente febril


Tem umas ideias fervendo na minha cabeça.Leitores, vocês sabem aquelas situações onde alguém lhe arremessa algo e fala "pensa rapido"?Ou qualquer coisa que possua uma equivalencia a isso.Enfim o ponto principal é, o que algumas pessoas levariam dias para decidir, semanas, meses, anos, por achar que algo tem uma importancia colossal, eu decido no mínimo de horas possiveis.
Tenho tempestades e trovões dentro de mim e eles percorrem silenciosamente minhas veias pelo meu corpo eletrico, minha mente move-se acelerada, mesmo quando meus musculos estão querendo repouso, eu não paro de pensar, cada pensamento erguendo ideias dentro do meu universo, como raios que cortam as mais negras nuvens e o clarão dos relâmpagos servem para iluminar meu caminho.
Eu tenho trovões na minha mente e fogo nas veias, a paz que eu almejo pode ser até um breve lampejo entre momentos, mas eu me esforço para ser um guerreiro em tempos pacificos e seguir o caminho duplo da espada e da pena, embora eu acredite que a pena é mais ampla que aquela idealizada por Musashi, um grande samurai que escreveu sobre o Bubu-Nidô.

Ficar em casa hoje com meus pensamentos, musica e desenhos, tossindo, com febre, e sentindo meus anticorpos lutarem contra uma gripe de responsa, me ajudaram a focar meus pensamentos em duas coisas que me incomodaram bastante.As resoluções a seguir dizem respeito a posturas adotadas para com coisas ou pessoas diferentes.

Resolução 1

Preciso revisar minha postura perante uma pessoa, que resolveu olhar para minha cara e achar que sou moleque de recados, falar comigo tentando colocar em cheque meus sentimentos por ela.Sim, de boa foi isso que ocorreu, por mais que negue.Olha eu detesto chantagem emocional, e se duas pessoas das quais eu gosto estão com problemas entre si, se eu nem tenho uma solução infalivel, eu me recuso a me envolver, pois uma coisa é eu fazer merda na minha vida, outra é cagar na dos outros, "muito ajuda quem não atrapalha" saca?

Pode me chamar de insensível, desculpe não ter eufemismos aqui para escrever.E outra, eu acredito com todas as minhas forças de maneira ferrenha mesmo, que gostar de alguem, é muito diferente de apenas ficar passando a mão na cabeça da pessoa e dizendo amém amém só para agradar.Se espera de mim isso, se fudeu.Eu jamais faço média.Ou eu gosto, ou não gosto, ou eu acho certo ou errado, e se eu não souber a resposta me dá algumas poucas horas que os dilemas terminam.Eu penso rapido.

Resolução 2

Senti raiva depois de muito tempo, mas nem foi de você, mas de mim mesmo, porque?Justamente por eu não ficar me fazendo perguntas por dias, mas por horas, quando eu desliguei o telefone, demorou apenas minutos para eu sentir a resposta subindo pelos meus poros.Talvez nem seja a resposta que lhe agrade, a mais facil ou sequer a mais comoda.

Eu me recuso a abandonar batalhas sem lutar, minha vontade é Darwinista, que sobreviva a vontade do mais forte.Baboseira isso?Não, não é mais uma questão do quanto alguem quer algo de verdade.E eu quero mesmo pagar para ver.

Apesar dos pesares aprendi boas lições com meu velho.Meu pai era um jogador, e uma coisa que eu aprendi com ele, quando ele vinha com uma mão não muito ruim, nem muito foda no carteado, foi uma frase "Perdido por um perdido por todos, pago para ver".

O que quero dizer com isso?Se eu não acreditar em mim mesmo e em minhas capacidades...Quem vai acreditar?Eu quero é pagar para ver, até o fim, seja o risco que for, pois vale a pena.Vou lutar mesmo que seja uma causa perdida em um jogo de cartas marcadas, meu destino faço eu.Eu posso não ter tudo o que quero, mas luto pelo que quero até o ultimo folego.Alguem ai sabe quem é o Santo das causas perdidas?A vida é um campo de batalha e eu fui criado para a rinha, preciso me lembrar disso sempre sempre, antes que algo me faça esmorecer.Eu gosto de ser quem eu sou, mesmo sendo um cara de poucos amigos.

Resolução 3

Meu, funciona assim, se você está com um problema(e se for alguem com quem eu me importe de verdade), não vejo problema algum que me ligue de madrugada, eu atravesso a cidade vou te ver .Quer chorar no meu ombro?Beleza, desabafar, falar dos problemas ?Ok, isso ajuda a supera-los, pelo menos comigo isso funciona, embora eu fale dos meus com poucas pessoas.
Juro que eu quero mesmo poder ajudar no seu caso, mas eu não tenho todas as respostas para mim, imagine para os outros, mas sei lá, creio que você é quem deveria se perguntar se vive uma relação ou um relacionamento a dois.

Relação, você trepa com a pessoa, alguma das partes ou ambas se divertem.Ponto final.Sem maiores responsabilidades, compromissos ou promessas de se importar.

Relacionamento, você trepa com a pessoa, se importa com ela, se ela tem problemas , você arruma pelo menos um copo dágua caso ela precise, uma palavra amiga que seja, em contrapartida a pessoa da outra ponta , quando é o seu que tá na reta , se enfia na frente do problema e mata no peito, ou pelo menos tenta.Trabalho em equipe saca?Ambos se ajudam, ambos se divertem.
E o mais importante disso tudo, ambos, não são o mesmo individuo, uma entidade coletiva, onde um não vive sem o outro, cada um é um indivíduo, respeitando a vontade um do outro, aprendendo a conviver.Sim eu sou um maldito anarquista em tudo."Sou condenado a ser livre" e acredito mesmo nisso.

Quando souber se você vive uma relação ou um relacionamento, lembre-se da sua individualidade, ninguem morre sem o outro, só perde algo quem se apega.Faça algo a respeito disso, e se precisar me ligar de madrugada, me ligue, prometo ir pessoalmente puxar sua orelha e te dar um abraço, mesmo eu detestando via de regra abraços.
Só queria mesmo que voce despertasse para esse detalhe, e se perguntar em seguida se ainda vale a pena chorar.Pois se nada fizer por si, por mais que eu queira te ver de pé como antigamente, voce sempre irá desejar uma muleta.Esta na hora de você mesma se ajudar.Volte a ser a guerreira que eu conheci cacete!Eu me importo com você, faça a sua parte e volte a importar-se consigo em primeiro lugar.Rocky Balboa jamais desistiu, mire-se no exemplo.

Resolução 4

Aplicar a "Teoria dos Chutes".Quer saber se algo é efemero ou duradouro?Dá dois passos para trás e enfia a sua melhor bica.Quer saber se algo é ilusorio ou real?Chuta e ouça que som faz, Quer saber se algo é solido ou frágilmente instável.Dê o seu melhor chute, com toda a força e vontade, se for concreto permanecerá de pé, se não o for, espere pela avalanche e prepare-se para ela.

Pessoas, isto é uma metafora, antes que alguem seja preso por agressão ok?É sempre bom avisar afinal qualquer um pode ler o que escrevi aqui. É por isso que pessoas frageis quebram ao meu redor.Sou um darwinista que seleciona com quem fala, com quem anda.E se eu ando com você, tenha absoluta certeza que é porque eu acredito que valha a pena.

Considerações finais.


Se algum dos meus comentarios serviu para o leitor, otimo apliquei-os na vida pratica, mesmo que eles não tenham sido escritos diretamente para você.Mas se o foram, pode ter certeza que vou dizer pessoalmente, só estou escrevendo para aliviar a febre na minha cabeça, e nas minhas veias.Juro que estou tentando ser uma pessoa mais tranquila, mais zen, mas o mundo a minha volta nem colabora.Encontrar paz de espirito é um processo meio longo, eu acho.Pensamentos fervem agora.E está na hora do meu corpo vencer a gripe.A minha alma ja a venceu.E eu to de pé e pensativo.A maior arma do guerreiro não é sua espada, mas a mente afiada.Lembrem-se disso.

Inspiração de onde não se espera


Bom, tem gente que fica chafurdando naquilo que dá errado, quase presos a um autochicotear, porque perdeu algo, está com algo, fez algo, lhe fizeram algo, enfim, deu bosta de alguma forma, o lance da vida não é a quantidade de merdas que lhe acontece, mas como você as encara.

Sério, ja deu merdas catastróficas comigo e eu to vivo até hoje, pensem assim se uma colisão de um caminhão com o onibus onde eu estava sentado bem na frente, só me rendeu um leve hematoma na bochecha quando eu era pequeno, se eu tive um Mestre Sith como pai, e graças as piores lições dele eu aprendi como sobreviver.Eu consigo extrair o melhor do pior e é nisso que me prendo.Talvez isso seja loucura.Mas realmente importa?

Viva o hoje, o amanhã ainda não existe, mas o agora é plenamente palpável.Mas o que isso tem a ver com arte?Tudo!!!Para começo de conversa só perde algo quem se apega, e esta vida é uma grande ilusão, a maioria dos problemas só estão ali porque as pessoas vem ele na sua frente e os abraçam, e querem leva-lo consigo, fazer cafuné nele.

Entendam, minha visão nem é questão de empurrar coisas com a barriga, mas assim, pergunte-se:"Tem conserto?" "Tem como eu fazer algo agora?" e "O que posso fazer de util com essa merda?" viu?Talvez eu simplifique muito as coisas, mas as coisas são simples, tem gente que vive no passado, outras na esperança de um futuro e esquecem do agora, que é onde a festa toda está ocorrendo.

Festa??Que festa???Gente, a vida.Acho que é por isso que mesmo gripado podre, sentindo minha alma espirrando, mesmo que ela não possua peso ou medida, eu comecei a fazer uns desenhos , uns monstrinho inspirados na meleca , tá vendo?Bom entendam a gripe como mais uma das minhas grandes metáforas, eu falo de gripe mas não falo de gripe, eu falo de bufalos, mas eles não são exatamente bufalos, embora o sejam.Notem a pluralidade dos significados quando escrevo.

A inspiração pode aparecer de onde menos se espera.E certas situações por mais "monstro" que possam parecer, servem de verdade para uma coisa, fazer você crescer, ou cair de joelhos implorando.Eu não me curvo nem para Deus, se ele é meu pai, somos iguais, com as mesmas capacidades, qualidades e defeitos e visões diferentes, afinal não somos semelhantes?Então porque eu deveria me curvar?Eu dou meus tropeços, alguns em forma de gripe, mas eu permaneço de pé.Fazendo arte, encarando a vida como ela é na verdade, uma ilusão, passageira, breve, onde apenas o agora deveria fazer a real diferença, e assim o é para mim.

Eu penso neste texto, na musica que ouço desde ontem e que não diz respeito a mais ninguem qual seria ela, pois cada um de nos absorve uma mesma musica de modos diferentes, e assim surgiu a inspiração para este texto.
Eu me recuso a ficar me banqueteando em problemas, prefiro transforma-los em um Tsuru, ou em um rascunho sujo no papel sulfite, uma gripe quase em grafite, transmuta-los em algo que se aproveite e assim os problemas parecem frutas estranhas prontas para servirem de banquete, fundidas e confundidas no real e imaginário, como naquele filme o "Labirinto do Fauno".O grande lance é por mais tentador que seja, ou adornadas que sejam a mesa, a dica é não come-las.

Mesmo com gripe na alma e resmungando um pouco a inspiração vem de onde menos se espera.Tente transformar algum problema seu em um desenho, pintura ou texto, de dois passos , olhe de longe, o que ele lhe parece agora?Problemas todos temos, o que importa é o que fazemos com eles.Rascunho, rascunho, rascunho desenhos tortos e ranhentos hoje.E escrevo um texto sobre a gripe, que talvez nem seja apenas gripe.Engraçado não é?
Por outro lado eu tambem recebi duas grandes dicas na minha vida, afinal o bufalo falou que é bom "Não importa o que aconteça, continue respirando" e a segunda e tambem muito importante foi "Coma chocolate!" e eu sigo esses conselhos a risca.Alguem ai quer trufa?